Montar um restaurante em sociedade?

Montar um restaurante em sociedade?

Sim ou não. Por quê?

sociedade1

( X ) Sim
( ) Não

Contar com um sócio é fundamental, porém desde que ele participe ativamente do dia-a-dia do restaurante e que as tarefas sejam divididas. Para que um restaurante funcione bem, seja na parte administrativa, seja na operacional, é preciso que os sócios estejam sempre presentes. Uma sociedade só é boa quando todos os associados participam. Além disso, é necessário que eles entendam do riscado, que sejam profissionais do ramo, ou seja, saibam o que estão falando e fazendo. Hoje é comum um grupo de investidores, sem vivência no ramo, abrir um restaurante, e aí o que acontece? Um gosta de comida apimentada, o outro não suporta frituras, e os dois querem que suas preferências prevaleçam no cardápio. Um restaurante tem de oferecer o que o cliente deseja e não o que os sócios gostam. Pelo menos até o restaurante consolidar seu nome, é fundamental que os proprietários sejam do ramo. Depois, se houver necessidade de expandir e se precisar de capital, pode-se buscar um sócio investidor. Atuo nesse meio há 31anos, tenho 12 restaurantes e uma rede de fast-food (Dom Pepe Pasta Express, com três unidades) e nunca tive um sócio investidor. Meu sócio é do ramo, o chef Allan Vila Espejo, e o mesmo há 25 anos!

Andrea Doria Conte é sócio proprietário do restaurante Vila Conte. Equipe do salão: 13 pessoas. Equipe da cozinha: 14 pessoas. Refeições servidas diariamente: 230. Rua Macuco, 559, Indianópolis São Paulo (SP). Tel.: (11) 5054-0166 www.donpepedinapoli.com.br/vilaconte vilaconte@hotmail.com

sociedade2 ( X ) Sim
( ) Não

Tocar um restaurante sozinha é muito difícil. É uma atividade que demanda muita dedicação. Com um sócio, tudo é mais fácil, as tarefas e as responsabilidades são divididas. Entretanto, no que se refere à sociedade, confiança é fundamental. Por isso, escolhi como sócia, minha mãe, Neusa. Mesmo assim, para uma sociedade dar certo, cada um deve ter suas atribuições e áreas de atuações muito bem def inidas. E, mais uma vez, insisto, é preciso conf iar no que o outro está fazendo. Pode-se até discutir sobre um determinado assunto, mas a palavra f inal é do sócio responsável pela área. Quando um sócio desautoriza o outro, é o princípio da confusão e da dissolução da sociedade. Os funcionários têm de saber quem é a autoridade em c ada setor. Se ele s não sabem a quem se repor tar, a chance de ocorrer erros é muito g rande. Out ro ponto impor tante é o per f i l do sócio. É preciso que ele tenha disposição para trabalhar, experiência, que acredite no negócio, tenha postura de l íder e que par t icipe at ivamente da rot ina do restaurante.

Patrícia Hadlich Miguel é sócia proprietária do restaurante Diaccuí. Equipe do salão: 3 pessoas. Equipe da cozinha: 5 pessoas. Refeições servidas diariamente: 25. Alameda dos Aicás, 1300, Indianópolis – São Paulo (SP). Tel.: 5093-4994 – www.diacuii.com.br diaccui@diaccui.com.br

sociedade3 ( X ) Sim
( ) Não

Um restaurante exige muito de seu proprietário. Não é fácil geri-lo sozinho. Numa sociedade há uma divisão das tarefas. O ideal é que um seja especialista na parte operacional e o outro tenha uma boa formação administrativa. Geralmente quem é bom na parte operacional, falha na parte administrativa e vice-versa. Quando existe essa diversidade, um complementa o outro. Como tudo na vida, uma sociedade tem prós e contras. Um dos prós é a divisão de tempo e de trabalho, que permite que os sócios estejam sempre presentes, em períodos distintos. Independentemente do porte do restaurante, é imprescindível ter um dos donos sempre presente, senão a coisa não funciona. Um dos maiores contras é quando acontecem problemas de personalidade que afetam o relacionamento. A melhor maneira de garantir vida longa numa sociedade é estipular no contrato, de forma clara, as responsabilidades de cada um, para que não surjam surpresas desagradáveis no futuro. Até porque, no caso de uma separação litigiosa, há argumentos e provas para se processar a outra parte, por não cumprir o que foi acordado.

Gustavo Bernardes é sócio proprietário do restaurante Julia Cocina. Equipe do salão: 6 pessoas. Equipe da cozinha: 6 pessoas. Refeições servidas diariamente: 90. Rua Araçari, 200, Itaim Bibi – São Paulo (SP). Tel.: 3071-1377 – www.juliacocina.com.br juliacocina@juliacocina.com.br

E você? O que acha de sua sociedade ou da ausência dela? Compartilhe conosco comentando…

 

Um comentário sobre “Montar um restaurante em sociedade?

  1. Na minha opiniao uma sociedade pode complicar muito as coisas. Na minha familia um dos nossos restaurantes tem 4 socios e o outro 5. A tomada de decisao e muito complicada e morosa. Alem de cada um pensar uma coisa, na hora de tomar decisoes nem sempre a decisao da maioria é o melhor para o restaurante ou para o cliente. Alem disso, nao é fácil quando se entra em divisão de tarefas, de horarios e de responsabilidades,pois na hora da verdade dois se destacam e sao mais activos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *