Uniformes são essenciais? Sim ou não. Por quê?

paula_gouvea

(x) Sim ( ) Não

No setor de restaurantes, desde o cumim até mesmo o próprio chef de cozinha devem usar uniforme. Primeiramente, para diferenciá-los dos clientes, e depois para que os clientes saibam, por exemplo, quem
é o garçom. Penso também que os uniformes devem
ser padronizados. É interessante evitar o tradicional
(gravata borboleta, camisa branca e calça preta), pois é inconveniente que um garçom esteja usando a mesma roupa que um cliente. Para evitar
isso, usamos no Spettaculo um uniforme personalizado, com um avental que leva no peito um logo da casa. A melhor opção para os garçons do salão é a cor preta, pois evita que fiquem feios e apareçam sujeiras, passando um aspecto melhor . Já o avental na cor branca é mais utilizado para o setor da cozinha. Isso porque a cor transmite um aspecto de limpeza. O uniforme também é um sinal de respeito com o cliente. Em lojas de roupas é muito comum alguém confundir cliente com vendedor e acabar criando uma situação chata para todos. Isso não
pode acontecer em um restaurante. Um freqüentador jamais pode ser confundido com um garçom. E é inaceitável que o cliente fique
pesquisando no salão quem é garçom e quem não é. O uniforme tem de ser característico, não deixar dúvidas de que determinada pessoa é funcionário da casa. A aparência física também pode ser incluída
como item do uniforme. O garçom não pode estar com barba, cabelo comprido ou com a cara amassada. E para finalizar, vale lembrar que o sorriso também é parte essencial do “uniforme”.

Paula Gouveia é proprietária do Spettaculo Restaurante.
Estrada Itapecerica, 1778 – São Paulo,
SP – Equipe do salão: 20 pessoas. Refeições servidas diariamente no restaurante: 150 couverts.
www.spettaculo.com.br

joao_vergueiro (x) Sim ( ) Não

O uso dos uniformes é essencial para os profissionais que lidam com alimentos, por questões de higiene e segurança. A doma, que deve ser 100% algodão, serve para bloquear e absorver o calor do fogo. As mangas compridas protegem a pele do contato com a gordura quente. O tecido da calça deve ser fino e leve. As cores, que variam entre branco, preto e xadrez distinguem a hierarquia do profissional. As calças brancas são geralmente usadas pelos faxineiros, as xadrezes, pelo cozinheiro, e as pretas usadas pelos chefs. O avental é de extrema importância para que o uniforme seja mantido limpo, além de bloquear a entrada do calor. O calçado é importante para a segurança. O ideal é que seja de couro, com ferro nas pontas para prevenir as quedas de panelas pesadas sobre os pés. O salto serve para manter a coluna no lugar, a sola de madeira, para que se possa pisar com firmeza e evitar o desgaste do solado e, debaixo do sapato, é necessário haver borrachas para evitar a condução de energia. Quanto às luvas, geralmente, são utilizados quatro tipos: as básicas, para lavar louças;
as de malha de ferro, para retirar resíduos e manusear facas afiadas; as térmicas de amianto, para retirar as panelas do fogo; e as cirúrgicas, para preparações que exijam a manipulação direta, por exemplo, a mistura de uma massa. Já o chapéu é importante para proteger os alimentos da queda de cabelos.

João Vergueiro Leme é chef e sócio do Restaurante
Rôti. Rua Lisboa, 191 – São Paulo, SP –
Equipe do salão: seis pessoas. Refeições servidas diariamente no restaurante: 60 bufês e 40 à la carte.
roti@rotirestaurante.com.br

carlos_bettencourt (x) Sim ( ) Não

O uniforme pode ser considerado tão importante
quanto a própria comida em um restaurante. Imagine
como seria chegar a um restaurante e não saber quem é o garçom. É parte essencial no serviço. A preocupação do A bela Sintra com os uniformes nos levou a encomendar modelos exclusivos com o estilista Walter Rodrigues. Isso porque acreditamos que um uniforme bem-feito e em harmonia com os ambientes da casa é uma demonstração de
respeito com o cliente. Para diferenciar o serviço, cada função deve ter um uniforme diferente. O cliente precisa diferenciar mäître, garçom, cumim e sommelier. O conceito de uniforme também abrange outros aspectos como educação, higiene e bom humor. Todos precisam ter um excelente conhecimento da casa, para saber oferecer ao cliente exatamente o que ele deseja. O garçom é o representante da casa para o cliente, a impressão que ele deixar é a impressão que o cliente vai ter
da casa. Daí a importância de seu relacionamento, sua aparência e seu uniforme. Detalhes como falar o português corretamente, a pronúncia certa de cada prato, e uma boa postura também fazem a diferença. Enfim, o uniforme não é só uma roupa, é um conjunto de ações que se espera do funcionário de um restaurante. Para isso, o clima da casa deve
ser harmônico e o serviço padronizado.

Carlos Bettencourt é restauranteur do A bela
Sintra. Estrada de Itapecirica, 1778 – São
Paulo, SP –
Equipe do salão: 50 pessoas. Refeições servidas diariamente no restaurante: 200 couverts
www.abelasintra.com.br

Fonte: Cozinha Profissional

E em seu Restaurante? Seus funcionários trabalham uniformizados? Você acha que valeu a pena? Participe…

banner_manual_conduta 

Um comentário sobre “Uniformes são essenciais? Sim ou não. Por quê?

  1. Pergunto!!1 Se vocês sabem onde posso encontrar em Brasilia ou as dimensões dos lenços usados no atenbraço dos garçons ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *