image Se o funcionário cometer uma falta, maltratar um cliente ou desrespeitar um colega, o empresário deve tomar alguma atitude, evitando que esse tipo de ocorrência se generalize. Pode, por exemplo, nos casos de faltas mais leves, chamar o funcionário para conversar, mostrando seu erro. Se já houve essa conversa ou se a falta teve alguma gravidade, cabe, então, advertir o funcionário verbalmente ou por escrito. Nesse momento, mais uma conversa pode ajudar, indicando o erro, a conseqüência e a necessidade da advertência.

Uma sucessão de faltas leves ou uma falta de maior gravidade pode justificar uma suspensão ou demissão. Para essas punições, que são mais enérgicas, a empresa deve se preparar, juntando testemunhas, documentos ou outros meios de prova, para que possa usá-los em caso de reclamação trabalhista.

Uma sucessão de faltas leves ou duas de média gravidade podem ser consideradas faltas graves e justificar suspensão ou até demissão.

A empresa deve aplicar advertências ou suspensões por escrito e, então, exigir que o funcionário reconheça que o original lhe foi entregue. Essas advertências e recibos devem ser guardados em arquivos. Caso o funcionário não queira assinar, a empresa deve procurar por duas pessoas, que viram o mesmo se recusar, para testemunhar.

Se ocorrer algo mais grave e não aparecer culpado, como, por exemplo, um furto, a empresa pode abrir um procedimento administrativo e ouvir os funcionários do setor, individualmente.

Esse comportamento irá demonstrar a preocupação com o fato e poderá contribuir para intimidar o faltoso e evitar repetição.

Se houver uma reclamação trabalhista, em que o funcionário alegue ter sido demitido sem justa causa, fica fácil para a empresa provar que isso não é verdade. Basta exibir os avisos de advertência, dizendo a que faltas corresponde cada um deles. Isso costuma impressionar o juiz.

Ao aplicar penas disciplinares, o empresário ou o gerente, que age como um juiz, tem de ser justo e razoável, para que o outro juiz – o do Trabalho – lhe dê razão. Deve também não esquecer de recolher prova, pois ela poderá ser necessária no futuro.

A experiência mostra que a melhor forma de evitar problemas disciplinares é aplicar uma boa entrevista na hora de selecionar os funcionários e, em seguida, formar uma cultura empresarial, ou seja, uma equipe coesa, qualificada, motivada, consciente, que vista a camisa.

banner_manual_conduta

Similar Posts

1 Comment

  1. Meu pizzaiolo é registrado p/trab. das 1630 as 00hs, porém as 11:10 ou ll:l5, ja guarda tudo não limpa nada que é espaço dele fazer, deixatodos seus utensilios tudo sem lavar, e vai embora, qdo cliente liga depois da 11:00 hs. pedindo pizza ele não faz, já adverti duas vezes verbalmente e a situação continua, neste caso cabe uma advertencia escrita? trabalha aqui há 7 meses, não aceita assinar livro ponto, se recusa assinar qq.tipo de documento informativo da empresa. gostaria de uma ajuda na informação pois quero fazer as normas dentro da lei.
    att. Cleide
    Aguardo resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *