Anuário Haus 2017 destaca projetos de espaços gastronômicos com conceito original

Muito mais que apenas ambientes para tomar um café ou fazer uma refeição, esses estabelecimentos, que foram finalizados recentemente em Curitiba e compõem o Anuário Haus 2017 tiveram seus projetos de arquitetura e interiores pensados para ser uma atração à parte.

Os espaços utilizam conceitos distintos com inspirações que vão do estilo industrial ao contemporâneo e trazem elementos que remetem às mais diversas influências, do urbano ao artístico. Essa liberdade de criação e mistura de conceitos se traduz em espaços únicos, aconchegantes, autênticos e funcionais.

Restaurante Taisho

Gilberto Inoue e Egon Lima assinam o projeto da nova infraestrutura e revisão do layout interno do Restaurante Taisho. O objetivo foi readequar os ambientes e mobiliários para a fase de renovação do restaurante, que passou a oferecer novos serviços. O layout do espaço foi alterado para a instalação dos mobiliários e equipamentos, disponibilizando um grill em cada mesa com sistema de exaustão individual, com centrais e dutos.

Mansué Café e Bistrô

Givago Ferentz apresenta os seis projetos abaixo de cafeterias com propostas distintas. A cafeteria Mansué Café e Bistrô apresenta um conceito de arquitetura contemporânea em conjunto com o estilo industrial e com um toque sofisticado. O espaço ganha destaque com o uso de elementos metálicos, madeiras e concreto aliado a um estudo de cores, trazendo uma sensação de harmonia e aconchego.

 

Confeitaria Anne Schuartz

O projeto da confeitaria Anne Schuartz mostra o encontro entre o estilo colonial e o clássico, alinhado à ideia de um ateliê de arte. Utiliza materiais como madeira maciça nos mobiliários e elementos metálicos. Os detalhes ficam por conta das luminárias e o toque artístico é conferido pela obra temática do grafiteiro Nuno Skor.

Café Municipal

O Café Municipal tem ares dos armazéns antigos com linguagem industrial, além de pequenos flertes com o neoclássico. Os tijolos aparentes são originais da casa que abriga o café e foram mantidos com uma pintura automotiva. O toque urbano fica por conta da obra temática do grafiteiro Nuno Skor que estampa a parede.

Café do Viajante

O Café do Viajante traz um conceito que mescla arquitetura brutalista, industrial e clássica. Na entrada, duas jabuticabeiras contracenam com arabescos de uma grade de ferro recuperados de uma casa de 1970. Peças contemporâneas e objetos clássicos compõem o espaço.

Madame Anchieta

O bistrô e café Madame Anchieta é uma homenagem ao romantismo francês e traz referências clássicas. O projeto conta com móveis provençais, estofados floridos, cadeiras torneadas e ladrilhos hidráulicos. O lado industrial aparece em luminárias feitas com tonéis. Para criar um dinamismo e contemporaneidade, foram usadas cadeiras restauradas de diversos formatos, além de elementos modernistas como blocos de concreto na adega, cimento queimado no piso e cores primárias.

Casa Poland

A proposta da Casa Poland é reforçar o regionalismo do Paraná, valorizando a descendência polonesa que é muito forte em Curitiba. Um projeto cheio de significados, cores e detalhes deixou o ambiente cheio de conforto e histórias pra contar. As casas polonesas foram inspiração para o projeto, com utilização de lambrequins na fachada e piso cerâmico com uma linguagem mais antiga.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/haus/anuario-2017/sete-cafes-e-restaurantes-que-surpreendem-pela-decoracao/

Similar Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *